Anúncio

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Anjos podem possuir mulheres?


A expressão hebraica benê’elõhîm, que aparece em Gênesis 6.1-4, tem sido interpretada, muitas vezes, como uma menção a anjos, os quais teriam possuído mulheres, que teriam dado à luz gigantes. Entretanto, para defendermos essa posição — que agrada muito a roteiristas de filmes —, teríamos de ignorar o contexto imediato e outras passagens em que a mencionada expressão alude a seres de natureza completamente diferente da angelical.

Tem sido contestada — por alguns eruditos, mas principalmente pelos proponentes da seita Testemunhas de Jeová — a posição de que os filhos de Deus em Gênesis 6 seriam pessoas pertencentes à linhagem piedosa de Sete, filho de Adão. Para eles, a menção a homens tementes a Deus, em Gênesis 5, não indica, necessariamente, que os filhos de Deus do capítulo seguinte são piedosos servos do Senhor. Nesse caso, seria mais plausível acreditar que a passagem em apreço alude a seres angelicais que teriam se relacionado sexualmente com mulheres?

Quero reafirmar — uma vez que já escrevi sobre o assunto, inclusive em meus livros —, neste texto, que, após estudar detidamente Gênesis 6 por alguns anos, consultando os eruditos, continuo não vendo nenhuma plausibilidade na posição de que os filhos de Deus ali são anjos. Creio que eles são, sim, os servos do Senhor, pertencentes a um linhagem piedosa, por alguns motivos.

Primeiro: se os mencionados seres fossem mesmo anjos — e nesse caso anjos caídos, posto que os mensageiros do Senhor jamais cometeriam o pecado descrito em Gênesis 6.2 (cf. Sl 103.20), o de possuir mulheres —, seriam eles chamados de “filhos de Deus”, sem nenhuma observação ao fato de que eram seres angelicais que haviam se rebelado contra Deus?

Segundo: se não há indicação no contexto imediato — mas há! — de que os filhos de Deus não eram os descendentes de Sete, como dizem alguns teólogos, que indicação haveria nele de que os filhos de Deus, ali, eram seres angelicais?

Terceiro: alguns teólogos se apegam à suposição de que gigantes teriam surgido em decorrência do fato descrito em Gênesis 6.2. Mas observe que antes de os “filhos de Deus” tomarem para si mulheres dentre os “filhos dos homens” já havia gigantes na terra: “Havia, naqueles dias, gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos” (v. 4).

Quarto: em Mateus 22.30, vemos que no Céu os salvos serão como anjos, que nem se casam nem se dão em casamento. Entretanto, nos dias de Noé, era exatamente isso que acontecia (24.38)! As palavras de Jesus, por conseguinte, confirmariam o fato de que ocorreram diversos casamentos mistos entre os “filhos de Deus” (justos) e as “filhas dos homens” (ímpias). A terra se encheu, pois, de maldade por causa dessa mistura, e Deus então a destruiu por meio do dilúvio.

Quinto: os anjos são “espíritos ministradores” (Hb 1.14) e, conquanto possam aparecer sob a forma corpórea e interagir até certo ponto com os seres humanos (cf. Gn 12-19), não têm corpos físicos para manterem relações sexuais com mulheres. À luz das palavras de Jesus em Mateus 22.30, podemos afirmar que os anjos, repito, interagem com os seres humanos até certo ponto, mas não podem possuí-los sexualmente, já que o Senhor Jesus ensinou que eles não se casam, isto é, não podem se relacionar sexualmente com mulheres, muito menos depositar nelas a sua semente.

Sexto: Deus fez tudo com perfeição. Dois animais, macho e fêmea, de espécies completamente diferentes, por exemplo, não conseguem se relacionar a fim de gerar uma nova vida. O homem, por sua vez, pode até possuir sexualmente um animal, uma fêmea, mas não consegue efetivamente depositar nela a sua semente. O que dizer de uma relação entre anjos e humanos, cujas naturezas são completamente distintas?

Sétimo: alguns citam o caso de Jesus, gerado no ventre de Maria, já que a semente divina foi depositada em uma mulher. Entretanto, a encarnação de Jesus, o Deus-Homem, que é um mistério (1 Tm 3.16), foi excepcional, visto que Ele foi gerado por obra e graça do Espírito Santo. Não se tratou de algo que pode ser repetido. O próprio Anticristo não será gerado pelo próprio Satanás no ventre de alguma mulher, como alguns pensam. O preposto do Diabo será um homem qualquer, que nascerá como qualquer outro, assim como hoje muitos não nascem anticristos, mas “se têm feito anticristos” (1 Jo 2.18).

Oitavo: em Jó 1.6; 2.1, sem dúvida, filhos de Deus são anjos. Mas afirmar que todas as vezes em que se menciona esta expressão no Antigo Testamento é uma alusão a anjos não reflete boa exegese. Esse termo aparece em muitas outras passagens, referindo-se a anjos e a homens (Dt 14.1; 32.5; Sl 73.15; Os 1.10 etc.). No Novo Testamento, os que nascem de novo também são chamados de filhos de Deus (Jo 1.11,12; Gl 4.4,5). Como não se trata de uma designação exclusiva dos anjos, precisamos examinar com cuidado o contexto imediato e a analogia geral da Bíblia.

Diante do exposto, reafirmo que Gênesis 6.1-4 nos apresenta a primeira ocorrência de casamento misto entre crentes e incrédulos. Os filhos de Deus, isto é, os descendentes de Sete, jovens tementes ao Senhor, em vez de permanecerem fiéis e leais à sua herança espiritual, cederam à tentação e se uniram a belas jovens ímpias, seguidoras da tradição e do exemplo de Caim. E o resultado disso foi a depravação da natureza humana, no tocante às gerações mais jovens, até que os antediluvianos se afundaram nas profundezas da iniquidade (v. 5). Fica aqui o alerta para todos os filhos de Deus: o Senhor não aprova a mistura. “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis” (2 Co 6.14).

Ciro Sanches Zibordi

13 comentários:

Anônimo disse...

Creio que esse assunto ninguém consegue dar uma palavra final, pois é um assunto complexo. Veja o grande argumento do lado oposto :

1) "Filhos de Deus" sendo uma referência à geração de Sete e "filhas dos homens" como uma referência à geração de Caim é na minha opinião uma interpretação extremamente implausível, dado o fato de que, embora Sete tenha sido um homem justo e Caim um homem ímpio, nem toda a GERAÇÃO de Sete foi justa e nem toda a GERAÇÃO de Caim foi ímpia. Portanto, essa interpretação só seria plausível no caso de a referência tratar-se especificamente e particularmente de Sete e Caim, mas não de toda a descendência deles. Evidentemente existiram pessoas ímpias e justas em ambas as descendências.

2) Segundo, porque Jesus descendia da geração de Sete, conforme lemos em Lucas 3:38. Mas ele é constantemente chamado nos evangelhos de "Filho do homem" em função de sua descendência natural (da carne), mesmo sendo da geração de Sete. Isso também evidencia que a geração de Sete também era considerada como "filhos dos homens", tanto para justos como para os injustos.

3) Terceiro, porque Gênesis é o segundo livro mais antigo da Bíblia, atrás apenas de Jó, e com ampla possibilidade de se tratar de um mesmo autor (Moisés). Ora, no livro de Jó os "filhos de Deus" tratavam-se de anjos (Jó 1:6), e, por conseguinte, é natural que a referência na mesma época e provavelmente pelo mesmo autor em Gênesis também seja a anjos, e não a seres humanos. A referência a "filhos de Deus" como se tratando dos cristãos é neotestamentária, e não da época de Moisés e do Gênesis!

4) Quarto, que Deus nunca proibiu que a geração de Sete se relacionasse com a geração de Caim. Aliás, para a população da época se multiplicar isso era até necessário que acontecesse. Gênesis 6:3 deixa claro que Deus castigou o homem com o dilúvio exatamente por causa do fato de que os filhos de Deus se relacionaram com as filhas dos homens. Se a primeira é referência à geração de Sete e a segunda à de Caim, então temos que presumir que Deus proibiu que a geração de Sete se casasse e tivesse filhos com a de Caim. Mas isso não se encontra em lugar nenhum da Bíblia! Em momento nenhum Deus proibiu que alguém que descendia de Sete se casasse com alguém que descendia de Caim. Portanto, castigar alguém por uma coisa que não foi expressamente proibida não faz parte do caráter divino e tampouco podemos "ir além daquilo que está escrito" (1Co.4:6).

Anônimo disse...

5) Quinto, que os livros de 2ª Pedro e de Judas deixam claro que o acontecimento de Gênesis 6 se aplica a anjos que caíram, e não a seres humanos. Judas diz:

"E aos anjos que não conservaram suas posições de autoridade mas abandonaram sua própria morada, ele os tem guardado em trevas, presos com correntes eternas para o juízo do grande Dia" (Judas 1:6)

Ele faz referência àqueles que "abandonaram a própria morada", sem conservar a sua posição, o que provavelmente diz respeito ao acontecimento de Gênesis 6:1-6, e não diz que era a geração de Sete, mas anjos!

6) Sexto, que os anjos descritos aí em Judas 1:6 não podiam ser aqueles que inicialmente se uniram à Lúcifer na rebelião antes da criação do homem, pois estes anjos não estão "guardados em trevas" e "presos com correntes", mas estão soltos, no "ar", em liberdade, como a Bíblia atesta em várias oportunidades:

"Pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais" (Efésios 6:12)

Paulo diz que eles estão "nas regiões celestiais" (embora tenham sido excluídos do Céu, vagam em torno das regiões celestiais, não estão presos em algum lugar), o que nos deixa claro que a referência de Judas 1:6 não pode ser aos anjos que se uniram na rebelião de Lúcifer, mas sim a outros anjos que também caíram posteriormente, em alguma outra ocasião. Isso só pode ser referência à Gênesis 6:1-6, quando anjos se uniram com mulheres humanas e como castigo estão "presos com correntes eternas para o juízo do grande dia" (Jd. 1:6).

Anônimo disse...

7) Sétimo, que até hoje eu só vi um único argumento contra a tese de que os "filhos de Deus" de Gênesis 6 fossem anjos, que é o de que anjos são seres imateriais e portanto não podem procriar, e para isso usam o texto de Mateus 22:30, onde Jesus diz que "na ressurreição, as pessoas não se casam nem são dadas em casamento; mas são como os anjos no céu" (Mt.22:30). Entretanto, embora seja verdade que a condição celestial dos anjos não lhes permite casar, isso não significa que eles não possam deixar o lugar celestial e se materializar na terra. Diversas vezes anjos se materializaram na terra no Antigo Testamento. Abraão recebeu fisicamente três anjos em Gênesis 18, tão físicos que eles até comeram com Abraão e Sara (Gn.18:6-8). Ló também recebeu anjos em sua casa, tão físicos que os habitantes ímpios de Sodoma e Gomorra queriam ter relações sexuais ilícitas com eles (Gn.19:5).

Portanto, embora os anjos sejam seres imateriais no Céu e que não se casam, eles podem se materializar na terra, seja para cumprir uma ordem divina (como nestes casos) ou então para desobedecer a Deus, uma vez sendo que os anjos também tem livre-arbítrio, assim como os seres humanos. É por isso que Judas diz que eles "abandonaram a sua própria morada sem conservar a sua própria condição" (Jd.1:6), porque eles abandonaram a condição natural deles como seres celestiais (imateriais, sem poderem se relacionar com mulher), abandonando a morada deles (celestial) para se encarnar e se relacionar com mulheres (as "filhas dos homens") contra a permissão de Deus. Toda essa perversidade entre parte dos anjos e os humanos foi o que causou a ira divina que culminou no dilúvio sobre a terra.

8) A única correção que eu faria ao seu texto é a de que os gigantes do passado não foram o resultado da relação entre anjos e homens, mas sim os "heróis do passado":

"Naqueles dias havia nefilins na terra, e também posteriormente, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens e elas lhes deram filhos. Eles foram os heróis do passado, homens famosos" (Gênesis 6:4)

Nefilins eram uma geração de gigantes que habitava na terra naquela época, mas note que o texto bíblico deixa claro que eles já existiam desde ANTES dos anjos se relacionarem com as mulheres, ao dizer que naquela época (antes do dilúvio) já haviam os gigantes e "TAMBÉM POSTERIORMENTE", quando aconteceu todo esse episódio entre os anjos e as filhas dos homens. O que foi gerado na relação entre anjos e mulheres não foram os gigantes, mas sim os "heróis do passado", conforme diz a continuação do verso.

Enfim, gostaria de me desculpar por essa resposta tão alongada, pois já fazia tempo que eu desejava escrever algo sobre este assunto. Mantenha-se sempre firme na fé e saiba que Deus a recompensará por toda a sua dedicação à Ele, pois "Deus não é injusto; ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que demonstraram por ele" (Hebreus 6:10).

Ciro Sanches Zibordi disse...

Caro anônimo, por favor se indentifique.

Seria muito mais produtivo — já que eu, modéstia à parte, conheço as posições que o irmão "colou" acima — se o irmão, em vez de apresentar um "textão", procurasse refutar à luz da Bíblia o que escrevi, a partir do meu próprio texto.

Mas eu gostaria de lhe fazer uma pergunta: Se, de fato os filhos de Deus ali não são pessoas, e sim anjos, o irmão acredita que eles podem manter relações sexuais com mulheres? O irmão já pensou nas consequências disto? E o que Jesus disse sobre a natureza dos anjos, não invalida o "malabarismo exegético" que o irmão "colou" acima? Aliás, quem é o autor dessa extensa argumentação?

Em Cristo,

CSZ

Thiago Silva disse...

Creio que devemos analisar o contexto e para quem o escritor está escrevendo o livro e qual a intenção dele.

Moises escrevendo para o povo de Deus, que havia saído da terra do Egito que estava indo para uma terra onde habitavam povos ímpios. Ou seja Moisés queria mostrar ao povo de Deus que não era lícito a mistura de povos. Deus sempre está advertindo que seu povo nao pode ter comunhão com as trevas em ralaciomentos afetivos!

Advertência: não façam isso, pq Deus é um Deus que pune o pecador! Se fizerem isso acontecerá o que houve em Gênesis 6! Castigo.

Ciro Sanches Zibordi disse...

É verdade, irmão Tiago Silva.

Inclusive, como citei no texto, o próprio Senhor Jesus afirmou que nos dias de Noé "casam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca". A Bíblia é análoga. Para mim, fica claro que estava havendo mistura do povo de Deus com o povo que não temia a Deus. Ademais, se lermos Gênesis 4 a 6 de modo linear, sem considerar a divisão de versículos, veremos que introduzir os anjos na narrativa seria estranho. Os mais lógico é que "filhos de Deus" designe mesmo seres humanos tementes a Deus.

Em Cristo,

CSZ

Max Araujo disse...

Dizer que os "filhos de Deus" são anjos é dizer que anjos podem ter DNA,assumir forma humana deliberadamente,ter órgãos reprodutores...etc...é zombar da nossa capacidade de pensar
"...cada um conforme sua espécie..." diz o CRIADOR ...assim foi é é será!
Parabéns PR.Ciro ...enriqueceu meus argumentos .Deus abençoe

Anônimo disse...

Ciro pelo que sei o texto acima com 8 ítens é do Lucas Banzoli. Mas não é só ele que está nessa. Russel Shedd defende o mesmo que ele. E até John MacArthur defende que são anjos que tiveram relações com mulheres.

John MacArthur acredita que são anjos que coabitaram com as filhas dos homens:
"Os filhos de Deus, identificados em outro lugar, quase que exclusivamente como anjos (jó 1.6;2.1;38.7), viram e tomaram esposas da raça humana. Isso gerou uma união sobrenatural que violava a ordem dada por Deus a respeito do casamento e da procriação (Gn. 2.24)(...) a passagem coloca forte ênfase no contraste entre e angélico versus humano. O NT coloca esse relato na sequencia com outros acontecimentos de Gênesis e identifica-o como envolvendo anjos caídos que habitavam em sere humanos (2 Pe. 2.4; jd. 6). A passagem de Mateus não nega, necessariamente, a possibilidade de os anjos serem capazes de procriar, mas diz apenas que eles não se casam. Para procriarem fisicamente eles teriam que possuir um corpo humano masculino".

MacArthur já se previne das perguntas que surgiriam baseado em Mt. 22.30 e, por mais que creia que exista a possibilidade dos anjos terem tomado esposas na raça humana, ele nega que essa relação gerou os gigantes:
" A palavra Nephilim, provém de uma raiz que significa "cair" (naphal), indicando que eles eram homens muito fortes que "caíram"sobre outros no sentido de superá-los em força (o único outro uso desse termo se encontra em Nm. 13.33). Os gigantes já estavam na terra quando os "valentes, varões de renome" nasceram. Os caídos não são fruto dessa união".

Ciro Sanches Zibordi disse...

OK, anônimo. Grato por seu comentário. Mas... não vai se identificar?

Dr. Russel SHEDD e John MACARTHUR são ótimas referências, mas não superiores à convicção que formei à luz da Bíblia. Erudito por erudito, eu poderia citar nomes de igual peso e criaríamos um grande impasse. Por isso, sempre digo que a Bíblia está acima da teologia. A teologia é o que os teólogos dizem da Bíblia. A Bíblia é a Palavra de Deus!

Os textos de 2 Pedro 2.4 e Judas v. 6 têm sido usados indevidamente em defesa da posição de que os anjos foram aprisionados no Tártaro porque haviam possuído mulheres nos dias de Noé. Essa afirmação é "forçada", exegeticamente. Se os defensores da ideia de que os "filhos de Deus" são anjos dizem que não há base contextual para se afirmar que a expressão alude à linhagem piedosa de Sete (que está claramente citada em Gênesis 5), alegando que não há menção explícita disto em Gênesis 6, por que eles incorrem em igual "desvio", já que afirmam, sem que haja menção explícita de que o pecado dos anjos em 2 Pedro 2.4 e Judas v. 6 foi o de possuir mulheres?

Na verdade, a Bíblia é análoga. A Bíblia explica a própria Bíblia. E, pelo ensinamento geral das Escrituras, não existe a mínima possibilidade de seres angelicais se relacionarem sexualmente com mulheres, muito menos de depositar nelas a sua semente. Isso é coisa de mitologia grega, de filmes de Hollywood etc. Pense nas implicações disto! E mais: se os grandes causadores da iniquidade e da violência que encheram a terra foram os anjos caídos, e Deus os teria aprisionado, por que destruiu toda a humanidade, exceto a família de Noé? Se as mulheres foram possuídas por seres poderosos, que as dominaram, sem dar-lhes a chance de se defender, por que elas e a humanidade como um todo teriam sido culpadas por isso?

A Bíblia é clara, reitero. Jesus disse que nos dias anteriores ao dilúvio CASAVAM-SE E DAVAM-SE EM CASAMENTO. E antes Ele havia dito que ANJOS NEM CASAM E NEM SE DÃO EM CASAMENTO. Viu como a Bíblia explica a própria Bíblia?

Identifique-se no próximo comentário, por favor.

Em Cristo,

CSZ

Luciano Silva disse...

A Paz do Senhor Pastor Ciro! Gênesis – Capítulo 6

1 Como se foram multiplicando OS HOMENS (os homens aqui abrange a todos; filhos dos homens e filhos de Deus) na terra, e lhes nasceram filhas,
2 vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhes agradaram.
3 "Então, disse o SENHOR: O meu Espírito não agirá para sempre NO HOMEM".
5 Viu o SENHOR que A MALDADE DO HOMEM (não foi a maldade de anjos, mas dos homens) se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração;
6 "então, se arrependeu o SENHOR de TER FEITO O HOMEM NA TERRA"
7 "Disse o SENHOR: Farei desaparecer da face da terra O HOMEM QUE CRIEI, O HOMEM... porque me arrependo de os haver feito".
12 Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque todo ser vivente( TODO SER VIVENTE AQUI,É TODA A RAÇA HUMANA) havia corrompido o seu caminho na terra.
13 Então, disse Deus a Noé: Resolvi dar cabo de TODA CARNE (TODO HOMEM), porque a terra está cheia da violência DOS HOMENS; eis que os farei perecer juntamente com a terra.

Os cp 5 e 6 de Gênesis está de forma clara mostrando uma Genealogia de seres humanos, até Noé e seus filhos faz parte dela - Gn 6.9-10
Agora se foram anjos que coabitaram com as filhas dos homens, não seriam uma "nova espécie" ? Qual seria a "nova espécie" que a bíblia não diz que era? - Em 1Pe 3.20 está escrito: "os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água". É bem claro que logo no início do cp 6 a bíblia faz uma distinção dos "filhos dos homens" e "filhos de Deus", mas quando a mistura acontece - já não é mais a mesma coisa; só sobra Noé como homem justo, o qual andava com Deus.
A paz do Senhor Jesus para todos!

Assembléia de Deus em Tailândia - PA disse...

Nesse caso os Anjos teriam que ter ESPERMA pra poder engravidar as mulheres. E se considerarmos a observação de Cristo, ao afirmar que anjos não tem sexo, e que, mesmo tratando-se de anjos caídos ou não, quando adquiriram a masculinidade...???

Edson santos disse...

Pasor Ciro se sao homens e não anjos,e o texo fala quem são filhos de Deus pq só oito almas se salvaram,sendo que muitos eram filhos De Deus ?

Ciro Sanches Zibordi disse...

Edson Santos, só havia oito seres humanos (almas) na terra por ocasião do dilúvio?

CSZ